Idiomas:Inglês Português Espanhol
contato@cinesiologiasistemica.com.br - 31 3286-8236

Dúvidas Frequentes

A Cinesiologia Sistêmica é uma abordagem muito abrangente, pois atua reequilibrando o sistema neuromuscular, restabelecendo o funcionamento ideal dos órgãos e glândulas e harmonizando o estado emocional. O principal resultado é um bem estar geral e por isso o alívio de sintomas representa mais uma consequência do que um objetivo do tratamento.
Pode ser utilizada para tratar problemas como dores osteomusculares, distorções posturais, lesões esportivas, dores de cabeça, disfunções orgânicas (má digestão, refluxo gástrico, problemas respiratórios, urinários, intestinais, etc.), sintomas de estresse (ansiedade, sudorese, arritmias, insônia, fadiga, depressão, entre outros). É também muito útil como um tratamento preventivo permite a identificação e correção de desequilíbrios no plano funcional, bem antes que uma doença ou um problema mais grave se manifeste.
A lista que segue dá uma idéia de problemas onde os resultados positivos têm sido mais significativos: 

• Alterações posturais
• Ansiedade
• Artroses
• Braquialgia
• Bursites
• Capsulite adesiva
• Ciatalgia
• Constipação intestinal
• Déficit de atenção/hiperatividade
• Depressão
• Desordens hormonais
• Dificuldade de concentração
• Disfunções digestivas
• Dor orofacial
• Dores articulares
• Dores cervicais
• Dores de cabeça 
• Dores lombares
• Dores musculares 
• Enxaqueca
• Fadiga crônica
• Fasceíte plantar
• Fibromialgia
• Hérnias de disco
• Insônia
• Lesões esportivas
• Refluxo gástrico
• Rigidez articular
• Síndrome do cólon irritável
• Síndrome do túnel do carpo
• Tendinites
• Tensão pré-menstrual
• Torcicolos
• Vertigem cervical
A Cinesiologia Sistêmica atua reduzindo o estresse e equilibrando o organismo como um todo. Sejam quais forem os sintomas, os potenciais auto-curativos do corpo são estimulados de um modo natural, sem necessidade de remédios. Funciona também como terapia complementar, potencializando a ação de medicamentos e reduzindo o tempo dos tratamentos convencionais. 
Para entender como essa abordagem funciona é interessante fazer uma analogia entre o funcionamento do corpo e o de um carro. Em todo sistema mecânico a eficiência e a longevidade da máquina dependem da qualidade dos movimentos de seus componentes. Os pneus de um carro, por exemplo, apresentam um maior índice de sobrevida e um desgaste uniforme se as rodas estiverem alinhadas e balanceadas. Nessas condições o carro economiza energia, gastando menos combustível. 
No corpo humano, da mesma forma, o alinhamento postural e o equilíbrio das tensões musculares facilitam a execução de movimentos precisos e com economia de energia. Com o corpo alinhado, o organismo balanceado e a mente centrada somos capazes de fazer a longa viagem da nossa vida, chegando ao destino com saúde e dignidade.
Os benefícios mais perceptíveis de um tratamento com Cinesiologia Sistêmica são:
• Alívio de dores. 
• Redução do estresse. 
• Melhora do equilíbrio.
• Reeducação postural. 
• Maior consciência corporal.
• Sensação de bem estar geral.
• Regulação dos sistemas orgânicos.
• Melhora do desempenho físico e mental. 
• Reestruturação dos padrões funcionais de movimento.
As técnicas da Cinesiologia Sistêmica são eficazes para acelerar a recuperação de lesões esportivas e para maximizar o desempenho de atletas porque promovem:
• Ganhos na amplitude dos movimentos;
• Equilíbrio do tônus muscular;
• Aumento da resistência aeróbica e anaeróbica de músculos chave para a prática de esportes específicos;
• Melhora da coordenação motora;
• Redução de estresse e sobrecarga psíquica em competições;
• Melhores níveis de concentração e organização espacial.
No caso de traumas e lesões, após a fase inicial, quando o edema e a dor aguda já diminuíram, o processo de recuperação consiste em remodelar as estruturas lesadas e restabelecer a força muscular, a amplitude dos movimentos e a coordenação motora. Durante esta fase, o uso do teste muscular ajuda a determinar exatamente quais são as estruturas afetadas e a monitorar a evolução do tratamento. Dessa forma, o atleta pode voltar a se exercitar sem o risco de sofrer novos danos.
A Cinesiologia Sistêmica é também muito útil na maximização do desempenho de atletas de alto nível. Na maioria das modalidades esportivas alguns músculos são excessivamente recrutados, ficando sobrecarregados e hipertônicos, enquanto outros tendem a ficar inibidos. Esses desequilíbrios musculares, além de predispor a dores e lesões, geram distúrbios sensoriais (proprioceptivos) e comprometem o controle motor. Através dos testes e correções da Cinesiologia Sistêmica o tônus dos músculos chave para cada esporte pode ser regulado, aumentando a habilidade e diminuindo o gasto energético.
Numa consulta típica de Cinesiologia Sistêmica primeiramente o cinesiólogo ouve o seu cliente, acolhendo os motivos que o levaram a procurar ajuda. Pergunta sobre seus sintomas atuais, histórico clínico e estilo de vida. Muito do tempo de uma primeira consulta é utilizado para reunir informações e estabelecer um quadro abrangente.
Num segundo momento o cinesiólogo olha para o cliente, avaliando seus padrões de postura e movimento. Ao mesmo tempo em que direciona o olhar para as áreas corporais onde se localizam os sintomas, ele percebe relações dessas áreas com outras regiões, onde podem estar localizadas as origens das disfunções.
Em seguida, o cinesiólogo toca o cliente, realizando uma série de palpações para identificar os principais músculos em disfunção. Enquanto testa os músculos, o cinesiólogo também avalia o estado funcional dos órgãos e glândulas a eles associados e o fluxo de energia pelos meridianos de acupuntura. 
Embora a primeira consulta seja utilizada principalmente para reunir informações, algumas técnicas terapêuticas já são empregadas. A maioria delas é indolor e tem resultados imediatos. Esses resultados são demonstrados para o cliente estimulando-o a perceber as mudanças em suas respostas musculares. Nas sessões seguintes o mesmo esquema - ouvir, olhar e tocar - é seguido, mas o tempo dedicado aos testes e correções é maior. 
Toda resposta terapêutica é individual. Por isso, é difícil saber com exatidão quantas sessões serão necessárias para alcançar os resultados desejados. Algumas pessoas melhoram com uma rapidez extraordinária, percebendo resultados imediatos após as primeiras correções. No entanto, é importante distinguir disfunções leves, mais fáceis de serem resolvidas, de problemas severos ou crônicos, que vão exigir um período de tratamento mais longo.
A experiência clínica mostra que um programa de cinco sessões, na maioria dos casos, é suficiente para que mudanças significativas possam ser alcançadas. Essa proposta de tratamento é distribuída da seguinte maneira: uma primeira consulta, com 90 minutos de duração, mais quatro sessões de 50 a 60 minutos, uma vez por semana. Dependendo da gravidade ou severidade do problema esse protocolo pode ser adaptado. A cada sessão o cliente é reavaliado para acompanhamento dos resultados.
A base da Cinesiologia Sistêmica é Cinesiologia Aplicada, um método desenvolvido na década de 1960 pelo quiropata americano George G. Goodheart. Nessa época, o Dr. Goodheart descobriu que, na ausência de anomalia congênita ou doença inflamatória, as distorções posturais e as dores osteomusculares são causadas por alterações nos padrões funcionais de movimento e que o desequilíbrio primário dessas disfunções é a presença de músculos inibidos. 
A partir de suas observações o Dr. Goodheart passou a empregar o teste muscular manual para identificar os músculos inibidos e desenvolveu vários procedimentos para a correção funcional desses músculos. Inicialmente, a Cinesiologia Aplicada era praticada somente por profissionais das áreas da quiropatia e osteopatia, com formação superior, treinados para executar esses procedimentos. Mais tarde, com a divulgação do método para um público mais amplo profissionais de várias áreas e até mesmo não profissionais passaram a utilizar as técnicas desenvolvidas originalmente para a Cinesiologia Aplicada. 
A Cinesiologia Sistêmica surgiu a partir da necessidade de estruturar um método direcionado aos profissionais da área de Fisioterapia e Educação Física. A possibilidade de integrar campos de conhecimento aparentemente tão diferentes, como a Cinesiologia, a Medicina Chinesa, a Terapia Manual e a Ginástica Funcional num método unificado tornou-se um grande desafio para seu criador. A grande motivação foi a de divulgar conhecimentos e técnicas desenvolvidos em mais de 25 anos de prática clínica, utilizando o método com excelentes resultados, e difundir seus benefícios para o maior número possível de pessoas.
A descoberta do feedback muscular remonta à década de 1960, quando o Dr. Goodheart observou que uma resposta muscular pode mudar imediatamente se estímulos sensoriais perturbadores forem aplicados ao organismo. Essa descoberta possibilitou que o teste muscular fosse utilizado coma uma forma de acessar diretamente uma linguagem não verbal e monitorar suas respostas fisiológicas a diversos agentes de estresse. 
Agrupam-se sob o nome de Cinesiologia Especializada uma série de métodos complementares de cura natural que adaptaram o uso do teste muscular como instrumento de biofeedback para diversos campos de atuação. Estes métodos são utilizados para identificar e corrigir disfunções em vários níveis, como desequilíbrios energéticos, disfunções glandulares, sensibilidade alimentar, problemas de aprendizagem e estresse emocional.
Durante as décadas de 1970, 1980 e 1990 várias escolas de Cinesiologia Especializada foram criadas, tendo como base o teste de feedback muscular desenvolvido pela Cinesiologia Aplicada. Entre as mais conhecidas podemos citar: Touch For Health, PKP, Applied Phisiology, Brain Gym, Edu-Kinesthetics, Three-in-one Concepts, Biokinesiology, Health Kinesiology, Kinergetics, Transformational Kinesiology, Integrative Kinesiology, Hiperton-X, Wellness Kinesiology, Psychological Kinesiology, Educating Alternatives, Blue Print, Body Talk, etc. 
O teste de feedback muscular é uma ferramenta extremamente útil, mas deve ser utilizada dentro de um contexto terapêutico adequado e considerando os vários fatores que podem estar influenciando seu resultado. O próprio Dr. Goodheart gostava de dizer: "O corpo nunca mente! Entretanto, devemos fazer a pergunta certa, de um modo certo, para ter uma resposta confiável".
Atualmente algumas pessoas utilizam o fenômeno do feedback muscular de um modo inconsistente com a técnica original. Empurram animadamente o braço de seus clientes fazendo "perguntas" ao corpo e interpretando os padrões musculares "ativado/inibido" como respostas "sim/não". Essas pessoas não podem chamar o que estão fazendo de Cinesiologia. A Cinesiologia é uma ciência complexa e uso do teste muscular como instrumento feedback tem sido submetido a diversos estudos para avaliar sua validade, confiabilidade e reprodutibilidade. 
O fenômeno do feedback muscular começa pelo estímulo de receptores sensoriais localizados nos músculos, tendões, pele, ligamentos e articulações. Esses receptores enviam sinais elétricos ao sistema nervoso central que, por sua vez, organiza a resposta motora ao teste muscular manual. Para que isso ocorra adequadamente, a pressão empregada pelo testador deve ser realizada dentro de certos parâmetros de força e velocidade. Testes muito suaves ou muito rápidos não produzem os mesmos resultados e não podem ser considerados um instrumento confiável de biofeedback. 
Informações colhidas apenas pelo feedback de um músculo isolado, sem levar em consideração toda a complexidade de sinais que compõem a linguagem corporal têm muito pouco significado. O Dr. David Walther, uma das maiores autoridades em Cinesiologia, afirmou: "O teste muscular da Cinesiologia Aplicada é um sistema para obter informações objetivas de nossos clientes. Isso não significa qualquer tipo de informação, através de perguntas "sim/não". Parece que alguns indivíduos conseguem aplicar essa abordagem e obter bons resultados. Entretanto, esses resultados não podem ser alcançados por outros que não possuam as mesmas capacidades e matrizes mentais."
A adoção de um modelo de pensamento - o paradigma sistêmico - para estruturar a metodologia e a prática clínica pode ser considerado o maior diferencial da Cinesiologia Sistêmica. Esse referencial teórico/filosófico permite que o cinesiólogo integre vários níveis de conhecimento e diferentes técnicas terapêuticas num método unificado. Os protocolos de prática clínica da Cinesiologia Sistêmica foram estruturados de forma a facilitar uma atuação segura e eficaz, onde o terapeuta acompanha as mudanças nas necessidades prioritárias de seu cliente sem se perder. 
O principal objetivo da avaliação cinesiológica é, independente de quais sejam os sintomas do cliente, definir em que sistema corporal está localizado o desequilíbrio prioritário. O desequilíbrio prioritário representa a área corporal de maior conflito ou disfunção em um dado momento. Pode ser simplesmente um problema no sistema musculoesquelético, resultado de maus hábitos posturais ou padrões disfuncionais de movimento. Pode, no entanto, ser proveniente de um problema visceral que se manifesta em determinados músculos e tecidos. Pode estar localizado primariamente no sistema neuromeníngeo e estar comprometendo o controle de certos movimentos. Pode ser uma interferência proveniente de estresse emocional, mental ou psicossocial. Onde quer que esteja o desequilíbrio prioritário, o método da Cinesiologia Sistêmica facilita sua identificação e, por conseguinte, a escolha da abordagem terapêutica mais adequada.
O outro grande diferencial da Cinesiologia Sistêmica é o seu direcionamento para fisioterapeutas e educadores físicos. Os cursos básicos do programa de formação em Cinesiologia Sistêmica são ministrados ao mesmo tempo para profissionais e acadêmicos das duas áreas. O objetivo é desenvolver uma linguagem comum que facilite a comunicação e a parceria coerente entre esses dois profissionais, sempre em benefício do cliente.
A aproximação da Cinesiologia com a Medicina Chinesa com começou na década de 1960, quando o Dr. George Goodheart investigou as associações entre os músculos e os meridianos da acupuntura. Ele observou que a estimulação de um meridiano, através de pontos de acupuntura específicos, produz um efeito imediato sobre a função de determinados músculos. Com isso, ele passou a utilizar o teste muscular manual não apenas para informar sobre o controle mecânico ou neurológico, mas também sobre a energia imediatamente disponível para um determinado músculo no meridiano associado.
A descoberta de associações entre os músculos e os meridianos ampliou a noção de uma concepção sistêmica e integrada de todo o corpo. Músculos, fáscias, órgãos, vísceras, glândulas, sistema nervoso, sistema circulatório e sistema de meridianos formam redes interconectadas e interdependentes por onde fluem as energias organizadoras de um organismo global. Por permitir essa integração ciência ocidental e a tradicional medicina chinesa a Cinesiologia tornou-se um campo de investigação novo e único. 
Na Cinesiologia Sistêmica, princípios da medicina chinesa são utilizados como importante referência, principalmente quando são realizadas abordagens de problemas psicossomáticos. O sistema de meridianos da acupuntura é considerado um sistema transdutor de informações entre a mente e o corpo. A estimulação de pontos de acupuntura pode ser utilizada tanto para obter mudanças no estado tônico dos músculos ou regular a função de órgãos e glândulas quanto para corrigir conflitos de natureza psíquica.
Em princípio, para que um indivíduo possa ser submetido aos testes musculares ele deve estar apto a entender as instruções verbais do terapeuta e realizar ativamente os movimentos. Crianças a partir de cinco anos são já são capazes de interagir diretamente com o cinesiólogo e acham os testes muito divertidos. Entretanto, quando não é possível testar diretamente os músculos de uma pessoa, o cinesiólogo pode usar o "teste por substituto". Com essa técnica bebês muito pequenos, crianças com necessidades especiais, indivíduos muito idosos e pessoas gravemente feridas, até mesmo em coma, podem ser avaliadas. 
Para realizar os testes por substituto o cinesiólogo utiliza uma terceira pessoa como "canal de transmissão de energia e informações". Todos os testes são executados no corpo dessa terceira pessoa, enquanto ela mantém contato físico com o cliente. Após a avaliação, as correções são realizadas diretamente no corpo do cliente. Existem critérios bastante claros para que esta técnica possa ser realizada. É essencial, por exemplo, que o substituto esteja alinhado, balanceado e centrado. Por isso, o cinesiólogo checa primeiramente os circuitos do substituto para ter certeza de que as alterações detectadas sejam informações do cliente.
O programa de formação em Cinesiologia Sistêmica foi elaborado para complementar a prática profissional e enriquecer a formação acadêmica dos fisioterapeutas e educadores físicos. Seu principal objetivo é apresentar um novo modelo de atuação que integra princípios de cinesiologia, terapia manual, medicina chinesa e treinamento funcional em uma abordagem unificada.
A admissão nos cursos requer que o participante seja um profissional graduado ou acadêmico dessas áreas. Ocasionalmente é dada uma consideração especial a outros profissionais de saúde (acupunturistas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, enfermeiros, médicos ou psicólogos) que queiram assistir a um curso. Nesses casos, é feita uma avaliação das circunstâncias pessoais e/ou profissionais que justificam esse interesse. Ao ser admitido, o participante assume a responsabilidade de discernir quais procedimentos ou técnicas são pertinentes à sua atividade profissional.
Alguns cursos são ministrados em conjunto, permitindo uma interação produtiva entre os profissionais das duas áreas. Outros são específicos e ministrados separadamente. Isso acontece porque, devido à natureza e complexidade de certos procedimentos, ele são ensinados somente para profissionais específicos. Certas técnicas de terapia manual, por exemplo, são direcionadas aos fisioterapeutas. Os seminários para educadores físicos focalizam o treinamento funcional e as técnicas de maximização do desempenho esportivo.


Voltar